Procurar... Menu
Paris Sempre Paris

Saint-Denis, a fascinante história do Bispo que perdeu a cabeça e se tornou padroeiro da França

23 de setembro de 2018

Por Rogerio Moreira.

Quando chega em frente a Notre Dame, muitas pessoas ficam intrigadas com uma das esculturas que decoram a fachada da Catedral. Um religioso ladeado por dois anjos, segura a própria cabeça e se destaca entre os outros personagens. Turistas observam, tiram fotos, apontam o dedo e comentam… Mas quem é ele? Qual a sua história? É isso que vamos conhecer neste artigo. Boa leitura!

Italiano de nascimento, Denis tornou-se cristão ainda na Itália. Desejava levar a palavra de Cristo à terras distantes. Por isso, no ano de 250, o Papa Fabiano o enviou, ainda jovem, a uma região chamada Lutécia (antigo nome de Paris), na Gália, hoje França, que era dominada pelos romanos. Os gauleses, nativos, seguiam suas tradições exotéricas e os romanos, seus próprios deuses.

Saint-Denis tornou-se o primeiro Bispo da França e fundou a primeira comunidade cristã do país.
O sucesso de sua missão, porém, incomodava os magos gauleses e os romanos fiéis ao imperador Valeriano, que perseguia duramente os cristãos. Os gauleses acusaram-no de bruxaria e práticas maléficas, por isso os romanos o prenderam, pois ele não reconhecia o imperador como um Deus.

Forçado a negar a fé em Cristo, preferiu a morte. Saint Denis e dois discípulos foram levados para o alto de uma colina (local próximo da atual estação Abbesses do metrô) onde foram martirizados e decapitados. Por causa deste fato que marcou a história da cidade, esta colina passou a ser chamada de “Colina do Mártir”, em francês, Montmartre.

Após Saint-Denis ser decapitado, um fato surpreendeu a todos: o corpo do decapitado pegou sua cabeça e caminhou segurando-a por uma longa distância, até cair em um povoado chamado Catulliacum, que depois passou a se chamar Saint-Denis. Este fato converteu muitos à fé cristã. Por isso Saint Denis é representado em imagens segurando a própria cabeça.

No local onde ele caiu, os cristãos entenderam que deveriam sepultá-lo. E assim foi feito. A sepultura tornou-se local de peregrinação.

Em uma das entradas da Notre Dame é possível ver uma estátua de Saint-Denis

Dois séculos mais tarde, foi erguida ali, por Santa Genoveva (423 – 512), futura padroeira de Paris, uma capela em sua memória, que mais tarde, a mando do Rei Dagoberto I (603 – 639), foi substituída pela famosa Abadia de Saint-Denis, onde os reis da França viriam a ser sepultados. Aliás, Dagoberto I foi o primeiro dos reis franceses a ser sepultado nas tumbas reais de Saint-Denis.

Leia nosso artigo com a História de Santa Genoveva

A Igreja Católica considera Saint-Denis como o padroeiro da França juntamente com Joana D’Arc.

Conheça a História de Joana D’Arc

A festa de Saint-Denis (ou São Dionísio de Paris) foi adicionada ao calendário romano no ano de 1568 pelo Papa Pio V, apesar de ter sido celebrado pelo o menos desde o ano 800. O dia de sua festa é 09 de outubro.

BÔNUS
Confira nosso álbum com fotos da Basílica de Saint-Denis

SERVIÇO:

Basílica de Saint Denis

Endereço : 2 rue de Strasbourg, St-Denis, Paris, França
1, rua da Legião de Honra
93200
Telefone Saint-Denis . : Visitas: 01 48 09 83 54 / Informação religiosa: 01 48 20 25 44
Metro : Estação St-Denis (linha 13)

Horário de funcionamento:

Abr-Set: Seg-Sáb 10h-18h15, Dom 12h-18h 15h
Out-Mar: Seg-Sáb 10h-17h15, Dom meio-dia-5: 15h
Fechado 1º de janeiro, 1º de maio, 25 de dezembro

Custo : 9 € adultos; Taxa reduzida: 7 €
Grátis para menores de 18 anos (com família e excluindo grupos escolares) – 18-25 (cidadãos dos 27 países da União Europeia e residentes não europeus com residência regular em França) – Pessoas com deficiência e seus assistentes.

A visita leva em média: 1 hora e 15 minutos para passeios guiados e com guia de áudio.

Fotos deste artigo: Wikipedia

Confira mais artigos como este em www.parissempreparis.com.br

GOSTOU DESTE POST? COMENTE E COMPARTILHE. ISSO NOS AJUDA A MELHORAR NOSSO TRABALHO PARA VOCÊ!

Para relatar um erro, envie uma mensagem para redacao@parissempreparis.com.br

Siga-nos em nossos outros canais:
Facebook ParisSempreParis
Instagram @ParisSempreParis
Twitter @Sempre_Paris
Pinterest ParisSempreParis
YouTube ParisSempreParis